O excitante teaser trailer de Cyberpunk 2077 na E3



Foi durante a conferência da Microsoft, hoje mais cedo, na E3, em Los Angeles (EUA), que a CD Projekt Red (a mesma produtora de The Witcher) divulgou um pequeno (e excitante) teaser trailer do já aclamado jogo Cyberpunk 2077.

Você pode conferir o dito cujo no vídeo incorporado acima, para sua comodidade. Verá que o trailer não demonstra quase nada do que será a mecânica do jogo. Muitos esperam que seja uma espécie de de RPG com mundo aberto extremamente detalhado e enredo envolvente (como The Witcher é) ambientado num futuro distópico dominado por megacorporações, onde mercenários, roqueiros, hackers, repórteres e empresários inescrupulosos tentam alcançar o topo da cadeia alimentar em cidades superpopulosas com clima noir tomadas por gangues. A julgar pelo teaser trailer da E3, pode-se mesmo esperar por tudo isso. O único senão, a meu ver, fica por conta da demasiada insolação> onde está o tempo escuro e a chuva ácida neste teaser?


Mas não se preocupe. Realmente a CD Projekt Red deve acertar a mão neste game. Afinal, já se passaram seis anos desde que a empresa o anunciou ao mundo, oportunidade em que divulgou este outro teaser que está incorporado aí em cima (este sim, bem mais "escuro"). 

E não digo só por dizer. Em fevereiro de 2017, a revista Rolling Stone publicou um artigo sobre Cyberpunk 2077 (clique aqui) e lá se lê que, de acordo com o próprio pessoal da CD Projekt Red, a empresa bebeu direto na fonte do RPG clássico Cyberpunk 2020 que foi publicado no final dos anos 80 pela Talsorian Games. Hoje, passado mais de um ano, ao assistir o teaser da E3, constatei de cara a presença de pequenos easter eggs que demonstram que, de fato, este novo game é mesmo  baseado hardcore no RPG de mesa em questão. 

Primeiro, logo na cena inicial, enquanto o personagem narra as vicissitudes de sua cidade natal, vê-se no mapa do metrô o nome da cidade: Night City! Uma cidade de tamanho médio, localizada na costa oeste americana. 



Depois, lá por volta de 00:54 no trailer, vê-se um prédio com um outdoor gigante escrito Arasaka (que em Cyberpunk 2020 é uma corporação de segurança privada, policiamento corporativo e operações diversas):



Por fim, em diversos equipamentos militares está estampada a marca da Militech, que no RPG da Talsorian Games é um fabricante e distribuidor de armas, equipamentos e etc. para corporações, exércitos e mercenários:


Com tantas referências diretas ao material clássico, o que se percebe é que a CD Projekt Red não gastou os últimos seis anos de brincadeira, mas sim realizando um vasto e intenso trabalho que muito provavelmente vai mesmo desaguar em um grande jogo. Não é pra menos, pois até mesmo Mike Pondsmith, autor do RPG de mesa da Talsorian é um importante colaborador da equipe desenvolvedora do jogo. 

Este, aliás, é um aspecto que vejo pouco explorado em matérias sobre o jogo por aí, especialmente em sites brasileiros, como o Jovem Nerd. Nada se fala sobre a presença do Sr. Pondsmith na equipe de colaboradores da CD Projekt Red e no tanto que esse game será fiel aos aspectos mais clássicos de Cyberpunk. Creio que esta informação seria importante para enfatizar o trabalho árduo da empresa desenvolvedora e sua filosofia de manter-se fiel ao "clima" original, pois quando Cyberpunk foi lançado, o mundo das artes cinematográficas e literárias experimentava esse estilo punk gótico noir pela primeira vez, sendo que Blade Runner, Neuromancer e Cyberpunk foram justamente três títulos que sedimentaram o estilo e a linguagem do gênero. Neste sentido, a presença de Mike Pondsmith na equipe da CD Projekt Red é um claro indicativo de que, se tudo o mais não falhar miseravelmente, Cyberpunk 2077 poderá ser o upgrade definitivo do gênero para o novo milênio (algo que Blade Runner 2049 ameaçou alcançar, por enquanto sem o merecido sucesso).

Pois bem. Além das óbvias influências de The Witcher, lendo artigos aqui e ali, aposto que Cyberpunk 2077 será um RPG com estilo de jogo meio GTA V também. Veremos um editor de personagens, onde você criará um "boneco" para chamar de seu, uma cidade gigantesca de mundo aberto (olá, Los Santos) com um modo história single player conciso e excitante. O multiplayer com certeza trará um modo de heist ou dinâmica parecida: nada mais cyberpunk do que aceitar uns trabalhos como mercenários para custear aqueles implantes novos!

Quem sabe, com tanto hype, não me anime de escrever e mestrar umas aventuras Cyberpunk?!

Comentários

Postar um comentário