Microsoft revela novidades do Xbox One na E3

Vou começar pelo ponto que achei mais legal: o novo controle Elite para Xbox One e Windows 10.



O vídeo fala por si só: o novo controle é bem impressionante. Percebe-se logo de cara que a ideia foi proporcionar a maior customização possível, permitindo que o jogador faça o remapeamento dos botões, calibre a sensibilidade dos gatilhos e dos direcionais analógicos e, sobretudo, que adicione botões novos, com os "paddles" na parte de trás do joystick - função que amantes de FPS e jogos de corrida deverão apreciar muito.

Nota-se também funções novas de configuração que lembram vagamente aquelas funções "turbo" dos antigos controles de gerações passadas (ideais para jogos do tipo arcade). Outrossim, há a possibilidade de substituir os direcionais analógicos e digital por outros com formatos e anatomia que melhor agradem ao gosto de cada freguês.

Bem impressionante mesmo!

A cereja do bolo é a saída de áudio p2 na parte inferior do controle, a qual permitirá a conexão com headphones e headsets comuns diretamente ao controle Elite, sem necessidade de usar o adaptador que a Microsoft até então vendia separadamente.

Esta peça aí de cima, portanto, se tornou um hardware obsoleto (nada obstante tenha sido lançado apenas este semestre no Brasil - deve encalhar nas lojas, ainda pelos pelos cerca de R$ 170,00 que é o preço no varejo).

A Microsoft ainda anunciou outras novidades bem legais, como o FALLOUT 4 e o pacote do Xone que inclui o FALLOUT 3 de graça, além da parceria com a OCULUS RIFT.

Contudo, o ponto alto foi o anúncio da RETROCOMPATIBILIDADE entre o Xbox One e os jogos do Xbox 360, algo que, em suma, significa a possibilidade de jogar os games (de mídia física ou digitais) no console da nova geração de forma nativa.

Ou seja: C-E-R-V-E-J-A!!! Ahahahah!!!

Golpe de mestre da turma de Redmond, que agora deve contar com o apoio em massa da comunidade do 360, além de atrair olhares invejosos dos adeptos do PS4.

Penso que este é um importante e inovador argumento de vendas. Tivesse o PS4 semelhante função e eu não teria comprado o Xbox One (já que migrei do PS3). O mais legal é que, ao contrário da experiência falida do PS3 George Foreman Grill, que tinha retrocompatiblidade com os jogos de PS2, a função do Xbox One não parece que irá exigir qualquer modificação de hardware.

Mas nem tudo são flores. A retrocompatibilidade não é automática para todos os games do 360. De partida, parece que serão disponibilizados cerca de 100 jogos e a parada funcionará da seguinte maneira: você insere seu disco original do Xbox 360 no Xone e isto gerará a oportunidade de fazer o download da versão equivalente do mesmo game para a nova geração - tudo sem custos adicionais. Semelhante processo deve se dar para os games digitais, através da Live Store.

Há, como se vê dois requisitos: a distribuidora do game deve ter disponibilizado uma versão compatível com o Xone na Live e, além disso, o jogador deverá realizar o download da nova versão. Isso explica COMO a Microsoft conseguiu introduzir a retrocompatibilidade SEM produzir alterações no hardware do console.

Então crianças, é isso o que tem de muito bom. No mais, foram anúncios do novo Tomb Raider (que eu certamente comprarei) e outros lançamentos aguardados.

Postagens mais visitadas