A Fonte Secreta - 19º Ato

Os personagens deixaram a estalagem decididos a procurar por Meuric. Inicialmente houve uma preocupação, externada principalmente por Dragnar, de que os bebuns de ontem a noite pudessem despertar a desconfiança de Meuric - partindo-se do princípio de que, em troca de uma "carona" para Greyhawk, o grupo fosse precisar oferecer serviços de escolta à Guilda dos Cervejeiros.

Wooly reagiu mal às palavras de Dragnar, e no final das contas o grupo decidiu ir todo junto até a Guilda. Lá chegando, se depararam com a figura baixa, gorda e nariguda de Meuric. Os preparativos para a viagem estavam quase prontos, porém, apesar disto, o grupo conseguiu negociar sua viagem junto à guilda - não sem antes ter que disfarçar Phrowenia - já que a comitiva não aceitaria uma mulher no navio.

Era uma caravana imensa, de mais de trinta homens e umas cinco carroças abarrotadas de tonéis de cerveja e sacas com grãos que se destinavam à Greyhawk.

Antes de partir, Beren e Dante foram repor as provisões - embora estivessem contando que a companhia de Meuric fosse lhe fornecer pelo menos isso!

A viagem era longa pela frente. São cerca de 1.400 quilômetros de estradas através das Terras de Darmen, as Terras Ocidentais e a Província Sul. A caravana passou por diversas cidades importantes no Grande Reino.

Torrich foi a primeira delas, uma fortaleza erguida sobre uma colina às margens do Rio Flanmi e entorno da qual cada vez mais pessoas vêm morar. São vilões e camponeses de todo o reino que buscam a segurança da fortaleza jamais invadida ou derrotada em combate. Ao todo, vinte e cinco mil pessoas se espalham em vilarejos orbitam o castelo e, mediante tributos e vassalagem, recebem dele toda a proteção de que precisam.

A caravana ainda passou por Jalpa, importante entreposto comercial às margens do Pequeno Flanmi, atravessaram as campinas e os outeiros verdejantes rumo a Rel Deven, até chegarem em Prymp - um porto militar de fundamental importância para Ahlissa - uma cidade dura e cruel.

Aqueles portos atendiam principalmente à esquadra da Província Sul do antigo Grande Reino, mas por causa da destruição das guerras passadas, era um dos poucos portos capazes de despachar as mercadorias negociadas entre este reino e outros vizinhos.

Nas docas, a nau da Guilda dos Cervejeiros esperava. Boa parte da comitiva se despediu e não embarcou. Mas os personagens sim. E começou uma nova e longa jornada de 1.106 quilômetros pelo mar - com direito à uma pequena parada em um porto de Onnwall para abastecer provisões e seguir até Hardby, o porto mais próximo à Greyhawk.

A viagem ia bem, e o tempo ajudava, apesar do frio, com temperaturas não ultrapassando os 15ºC. Mas um certo dia uma forte neblina se aplacou sobre os mares, num presságio lúgubre de um mal que estava por vir. Certa hora da noite, quando todos há haviam ido dormir, estavam no deck da nau apenas Wooly e alguns poucos marinheiros. Foi quando um som surdo e um forte tremor abalaram o navio, jogando Wooly ao chão e fazendo o marinheiro que estava na gávea derrubar sua lamparina.

Fez-se a escuridão quase total. Somente um pouco de luz da luz penetrava naquela neblina fria. Não obstante, ela foi o suficiente para que Wooly visse o corpo da gigantesca criatura próximo ao casco da nau. Logo um tentáculo praticamente atingiu o bucaneiro, que se safou por pouco de ser agarrado e destroçado pela força brutal daquela lula gigante.

Em poucos instantes muitos já estavam no convés lutando contra o monstro, que usava seus tentáculos para tentar derrubar e destruir os inimigos.

Dante agigantou-se para o combate, mas ao fazê-lo causou um desequilíbrio no navio, balançando-o e, com isso, causando a queda de alguns tripulantes do navio, inclusive de Wooly, Togus e os anões. Com o chão escorregadio, estes personagens tiveram dificuldade para ficar em pé e travar uma luta. Phrowenia, então, gritava "morte" numa vã tentativa de incitar nos corações dos homens a coragem para enfrentar aquela ameaça que podia lhes tirar a vida.

Beren, como sempre, usou seus feitiços mágicos e já estava voando, desferindo ataques mágicos que contribuíram para destruir o monstro. A esta altura, a criatura tentava virar o barco usando a força dos tentáculos e nesta alguns personagens quase foram engolidos pela criatura. Por ocasião de um ataque mal dado em Wooly, a lula ainda prendeu um de seus tentáculos às redes que se esticavam desde o convés até a cesta da gávea - algo que passaria por um mero detalhe se as coisas não piorassem tão rapidamente!

A lula acabou morrendo, e seu sangue e vísceras se espalharam pelo Mar de Gearnat. Do alto, as pupilas de Beren se dilataram, pois com a piscadinha em punho, pode ver claramente uma criatura muito maior se aproximando. Dragnar viu também, mas não teve tempo de reagir. Beren gritou para que os personagens se protegessem.

Heroicamente, Wooly escalou as cordas o mais rápido que pode, e quando estava prestes a desprender o tentáculo da lula, o balanço brusco e repentino do navio o fez cair. Foi quando uma imensa baleia cachalote emergiu das profundezas para engolir a lula, provocando uma onda tão grande que a nau balançou violentamente de um lado para o outro. Quando a baleia imergiu com sua presa nas mandíbulas o corpo da lula ainda estava preso ao navio, e isso mais uma vez provocou uma instabilidade que, desta vez, a nau poderia não suportar.

Wooly estava com pouca sorte naquela noite e, escorregando pelo convés, não conseguia cortar o tentáculo. Beren, porém, o fez e salvou a nau de um naufrágio.

Entretanto, a situação ainda ficaria pior. Dante, Dragnar, Togus e Brÿjoff haviam caído no mar. Togus se virou bem com a natação, e Dragnar mostrou alguma competência, apesar de precisar da ajuda de Beren para chegar até o navio. Mas Dante e Brÿjoff afundaram se afogando. Sua inabilidade aliada ao peso provocaram um cenário nefasto.

Wooly atirou-se ao mar para tentar salvar o sacerdote de Natirel. Mas Dante estava em sua forma gigante e era muito pesado. Assim, Wooly desistiu a passou a tentar o salvamento de Brÿoff, obtendo um pequeno progresso que, ao que tudo indica, não é o suficiente para salvá-lo.

Dante afundou 12 metros e continua sem conseguir se recuperar. Brÿoff e Wooly estão a 11,5 metros de profundidade, com dificuldades para emergir. Beren, desesperado, abriu seu porta-pergaminhos em busca de uma solução para salvar a vida dos amigos.

Será que Procan e Osprem irão tomar a vida destes personagens para saciar sua ira divina? Conseguirão os personagens chegar até Greyhawk? Ou será que a sociedade da piscadinha irá se desfazer antes disso? O futuro de Kalamar e dos Reinos Jovens estão nas mãos de homens num plano distante, onde os deuses não poderão ouvir suas preces...

Comentários

Postar um comentário