A Fonte Secreta - 5º Ato - 1ª Parte

Diferentemente do que os halflings haviam afirmado, o poderoso dragão verde acima do grupo certamente não era um simples filhote. Suas grandes asas cobriam uma larga área e era possível ver, mesmo sob a parca luminosidade da floresta, sua magnífica mandíbula, repleta de dentes afiados, e seus olhos magnéticos, verdes e brilhantes como duas belíssimas e grandiosas esmeraldas. Tal beleza não era capaz de suplantar o terror da sua presença, todavia...

Os personagens já haviam escutado diversas lendas acerca dos dragões, mas jamais haviam estado tão perto de um antes. E o exemplar à sua frente parecia realmente amedrontador. Mesmo Beren, com toda a sua experiência, foi incapaz de resistir ao terror do dragão. Apenas o dever de proteger seus companheiros impediu sua fuga alucinada pela floresta. Unmada, Dante e Brÿjoff mantiveram-se firmes e não se abalaram pela presença aterradora.

Phrowenia, entretanto, não teve tal presença de espírito e, gritando com toda a força de seus pulmões, correu desesperada para o mais longe que pôde, ainda mais quando ouviu uma poderosa voz em sua mente: "Dêem-me a donzela e os permitirei viver".

Se alguém ali pensou em aceitar os termos do dragão, não chegou a ter tempo de manifestar-se. O meio-elfo, por óbvio, jamais poderia permitir tal coisa. Ela estava ali por sua culpa. Fora sua a irresponsabilidade de dormir com a inocente garota e, ainda que ele a tivesse alertado de todos os riscos e tivesse sido contra a sua ida, acabara aceitando a sua presença. Ainda não sabia se era por um mero dever ou se, após todos aqueles dias passados juntos, já sentia algo mais pela bela ruiva, mas estava bastante ciente de sua responsabilidade.

Unmada rapidamente traçou um plano temerário. Pediu a Beren para ir atrás da garota e, enquanto o grupo deixava o dragão ocupado, torná-la invisível. Depois o xamã assumiria sua forma e se entregaria à criatura. Ele acreditava não ter problemas para fugir depois, considerando sua possibilidade de assumir as mais diversas formas. Os demais pareciam achar aquele um plano deveras arriscado, mas deixar Phrowenia invisível era uma boa idéia, talvez aquilo a acalmasse um pouco. O problema é que o mago teria que ir atrás dela, deixando o grupo sem suas magias por um bom tempo. Se tivesse um familiar, essa seria uma situação bem mais fácil de resolver...

Enquanto Beren conjurava um feitiço de velocidade, Dante usava o conhecimento adquirido no Templo do Conflito Armado para determinar as melhores formas de se defender e posicionar o grupo. Já o xamã buscava uma forma de resolver um outro problema: era necessário trazer a criatura ao chão. Enfrentá-la nos céus seria muito difícil e apenas ele e Beren possuíam tal habilidade. Ele não era capaz de assumir uma forma maior do que a do dragão, mas ele teria que tentar derrubá-lo ou não teriam a menor chance de sobreviver ao combate.

As movimentações do grupo mostraram ao dragão que eles eram tolos o suficiente para enfrentá-lo. Aquilo seria divertido... Usando o poder de sua mente, fez com que o odioso anão começasse a cavar um buraco na terra com seu machado. Um a menos... Em breve eles veriam o erro que haviam cometido...

Ciente da premente necessidade de trazer a criatura ao chão, o meio-elfo resolveu tentar uma coisa: conjurou uma flecha em forma de relâmpago e atirou-a, acertando o peito do dragão. Enquanto a criatura se contorcia sob o efeito elétrico, conjurou outra flecha idêntica e novamente acertou o ataque. O choque resultante, além de causar bastante dano, momentaneamente impediu o movimento das asas do dragão, ocasionando a sua queda.

Sem perder tempo, Unmada assumiu a forma de um leão atroz e partiu, em poderosa investida, na direção do pescoço do dragão. Suas garras acertaram violentamente as artérias da criatura e o sangue jorrou vertiginosamente. Por muito pouco o poderoso "Olhos Esmeralda", como era conhecido naquela região, não tombou. Se não fosse a incrível resistência de sua pele absorver parte do impacto e impedir a perfuração pelos dentes do leão, sua vida teria acabado ali mesmo.

Ciente de que aquele grupo não era uma presa tão fácil quanto ele imaginara, o dragão fez uso de seu hálito corrosivo para acertar os três combatentes à sua frente.  Mas o ferimento em seu pescoço mostrara-se forte demais e o hálito não saíra com a força costumeira.

O dano ácido não fora suficiente para fazer o grupo recuar. Enquanto Unmada e o dragão trocavam garradas e mordidas, Dante aumentou o seu tamanho para poder atacar à distância, ao mesmo tempo em que se mantinha próximo ao xamã, de forma a que pudesse curá-lo em caso de necessidade. Beren viu a possibilidade de vitória e desistiu da perseguição à Phrowenia, lançando mais daqueles pequenos relâmpagos. Dessa vez, entretanto, o dragão não ficou enredado e conseguiu levantar vôo novamente, afastando-se do grupo.  

Unmada desejava partir em seu encalço, mas ele próprio também estava muito ferido e atendeu aos apelos de Dante, que conjurou a graça de Natirel para curá-lo. Ainda estava bastante ferido, mas isso não impediria a sua perseguição. A caça se tornava o caçador...

O meio-elfo conjurou Vôo e foi atrás do dragão, pois sabia que eles não teriam qualquer descanso naquelas matas se a fera fugisse. Os dragões eram famosos por seu orgulho e ele tinha certeza que seriam caçados ferozmente assim que ela recuperasse as suas forças. Era preciso matá-la. Acertou outra flecha de eletricidade, mas não seria capaz de lançar outra. O alcance da magia não era muito grande e a criatura afastava-se a toda velocidade. Conhecia apenas uma magia capaz de acertá-la àquela distância...

A bola de fogo foi certeira e mortal. O dragão viu a última de suas forças esgotar-se. Mas seus algozes não sairiam impunes. Com imensa dificuldade, moveu suas asas em chamas, direcionando seu corpanzil ao acampamento, onde Unmada, Dante e Brÿjoff estavam, sem noção do perigo que vinha dos céus...

Comentários

  1. Mario, ao fazer o post, percebi que vc esqueceu de colocar os marcadores no 2º, 3º e 4º Atos...

    ResponderExcluir
  2. Quero ver como descreverao a divina intervençao que salvou o Unmada!

    Ha! Foi lindo :D

    ResponderExcluir

Postar um comentário