A Lenda da Folha Caída - 36º Ato - 2ª Parte

Para a surpresa do meio-elfo, a cena que o olho da Piscadinha lhe revelou não parecia com nada do que o seu próprio olho lhe mostrava: as tendas estavam completamente destruídas, queimadas, e diversos corpos carbonizados pereciam ali. O cheiro da morte invadiu suas narinas e um sentimento de pavor começou a dominar-lhe quando percebeu o que estava acontecendo...

Virou-se na direção de seus companheiros, que já seguiam na direção da entrada do acampamento, e viu Felana lhe olhando de soslaio, desconfiada, com um quase indiscernível sorriso nos lábios ressecados. A Piscadinha nada mostrava de diferente nela e essa era a única prova de que necessitava para comprovar o que temia:

"Ela não é a Felana!" - disse um abalado Beren, que logo iniciou a conjuração de uma Bola de Fogo, não querendo perder mais um minuto sequer sob a lábia do portador da Máscara das Raças.

 Felana agiu rapidamente. Conjurando um feitiço de transmutação, deu ao meio-elfo a aparência demoníaca que Veönamë assumira na batalha em Cirolealon.

"Vejam! Veönamë novamente infiltrou-se entre vós! Mandou um dos seus asseclas vir pra destruir o Espelho! Ataquem-no!"

Astaror e Unmada, assustados, olharam para trás, ainda sem compreender o que estava acontecendo. Viram o demônio lançar uma Bola de Fogo em Felana, mas a magia pareceu simplesmente sumir perante alguma proteção latente da poderosa arquimaga. O bárbaro pegou sua lança e arremessou-a na direção do demônio, que se encontrava alguns metros acima do chão, mas não obteve sucesso na investida. Já o xamã transmutador resolveu assumir a aparência de uma gárgula e subiu aos céus para enfrentar a criatura.

Talvez essa não tenha sido a melhor escolha de transformação para Unmada. A arquimaga aproveitou a aparência demoníaca da gárgula para novamente fazer o grupo lutar entre si.

"Um outro assecla de Veönamë! Vou destruí-lo!" - disse, ao mesmo tempo em que conjurava uma Corrente de Relâmpagos. Por sorte, Astaror e Beren não estavam próximos o suficiente e a magia não os atingiu, mas Unmada ficou gravemente ferido, tendo que assumir uma nova forma e fugir dali para se curar. Voou na direção de seus demais companheiros, que já corriam em direção à batalha, mas ainda sem ter noção da gravidade do problema...

Beren inutilmente tentava fazer com que Astaror usasse o Espelho de Gelthangor. O bárbaro parecia se fingir de surdo, ignorando o que aquela voz gutural e demoníaca lhe dizia. O meio-elfo sabia que precisava fazê-lo lhe escutar. O Espelho era a única esperança! Ele tinha que dissipar a magia transmutadora, mas não sabia se seu poder seria suficiente. Precisava de alguma coisa mais poderosa. Era a hora de usar um dos pergaminhos que adquirira no subterrâneo da Academia Arcana de Bet Rogala. Retornando ao solo, começou a ler um pergaminho e conjurou um Campo Antimagia, voltando a ter a sua aparência normal.

"Astaror, aquela não é a Felana. É o Imperador! Use o Espelho agora!!!"

Astaror, assim como Felana, pareceram surpresos com a virada nos acontecimentos. O meio-elfo aproveitou a oportunidade para pegar mais um de seus pergaminhos e invocar um gigantesco urso celestial de 4 toneladas, que automaticamente atacou a arquimaga, agarrando-a com seus poderosos braços. Ela tentava se libertar, mas não tinha força suficiente para tal. Também tentava utilizar suas magias, mas era incapaz de realizar os gestos necessários.

Unmada e os demais personagens chegaram nesse momento e viram Astaror, enfim, retirar o Espelho de sua mochila, revelando, em seu reflexo, a multiplicidade de formas do Enganador. Era possível vislumbrar a Máscara, mas impossível identificar quem a portava, com as formas sendo trocadas a cada instante, de forma vertiginosa.

Aproximando-se, ele apontou o Espelho para a Máscara das Raças e um poderoso e constante raio de luz surgiu, atingindo o maléfico artefato e seu portador. Agora era possível discernir o Imperador. Ele gritava de dor enquanto a Máscara separava-se de seu corpo. Era nítida a batalha entre os dois, com a Máscara segurando-se em sua face com apenas alguns tentáculos.

Beren pegou seu arco e alvejou o artefato do Enganador. O tiro foi certeiro e a Máscara foi ao chão, queimando sob a chama azulada da flecha encantada...

Comentários

  1. A idéia era terminar o resumo da última sessão nesse post, mas acabei não conseguindo, rsrs...

    Achei que, por ter sido uma sessão tão importante pra história da campanha e ter sido jogada por tão poucos membros do grupo (infelizmente), eu deveria fazer um post mais detalhado.

    Prometo terminá-lo em breve...

    abs

    ResponderExcluir
  2. fodaaaaaaaaaaaa

    que que tinha na flecha magica? alguma coisa a mais ou foi soh uma grande tchan do narrador?

    ResponderExcluir
  3. Usei "Burning Sword", uma magia de 2º círculo do Spell Compendium (que, apesar do nome, não encanta apenas espadas, rsrs)... Dá +1d6 de dano de fogo...

    ResponderExcluir

Postar um comentário