A Lenda da Folha Caída - 36º Ato - 1ª Parte

Novamente reunidos, o grupo, enfim, decidiu entrar no acampamento abandonado para investigar. Porém, por cautela, apenas Beren, Unmada e Astaror seguiram em direção às tendas, ficando os demais na entrada, preparados para uma eventual emboscada.

Os três seguiram lentamente, novamente admirados com o fato de não haver nada fora do lugar, nada que indicasse uma saída às pressas, uma fuga... Tudo parecia se encontrar exatamente onde deveria e essa "ausência de desordem" era deveras estranha.

Perto do centro do acampamento, enquanto Beren dirigia-se a maior tenda, Unmada notou a presença de três cavalos. Conjurou um feitiço e procurou conversar com os animais, descobrindo que os soldados realmente haviam se dirigido para o outro acampamento ao norte. Tentou obter mais informações, mas os animais rapidamente afastaram-se quando viram uma mão surgindo da tenda a que o meio-elfo se dirigia.

O xamã olhava com desconfiança, alarmado com a reação dos animais, quando viu Felana saindo de dentro da tenda. Com a sua aparência pálida, quase cadavérica, era possível entender o desconforto dos animais. Mas, de alguma maneira, lhe parecia que não era só isso, não era um simples receio que os cavalos demonstraram. Era medo...

A arquimaga saiu da tenda e não perdeu muito tempo com cumprimentos. Disse que já havia realizado seus estudos e sabia como acabar com a Máscara. Ela levaria o Imperador a um semi-plano criado por ela, aonde seria possível destruir o artefato sem causar maiores danos. Bastava aos personagens lhe entregar o Espelho. Ela estava muito agradecida por tudo que eles haviam feito, mas era hora dela assumir a tarefa de destruir seu arquiinimigo. Além do mais, o grupo não tinha poderes suficientes para enfrentar o Imperador, sendo desnecessário que perdessem a vida numa tarefa que lhes era impossível.

Obviamente, os personagens não reagiram bem à sugestão. Eles sabiam da grandiosidade da tarefa e da imensa dificuldade que seria cumpri-la, mas todos sabiam dos riscos desde o início. Pelas mais diversas razões, cada um deles estava disposto a sacrificar suas vidas para o sucesso da empreitada.

Felana parecia não ver motivo para tal sacrifício. Ao contrário, acreditava que eles ainda tinham muito o que fazer e outras missões a cumprir em Telene. Uma delas começava bem ali: o acampamento em que estavam pertencera a mercadores de escravos da Teocracia de Slen, sendo abandonado em razão de um ataque de humanóides. Os mercadores vinham da Brandobia e traziam com eles a menina Miranda...

Beren surpreendeu-se, vendo a mesma reação no rosto de Astaror. Eles jamais haviam mencionado aquele nome para a arquimaga. Mesmo dentro do seu grupo, poucos sabiam acerca daquela malfadada história, que, por tanto tempo, ocupou suas vidas. Sentiu sua nuca arrepiar-se. Olhava para Felana sem conseguir esconder sua desconfiança, mas ela parecia estar realmente falando a verdade. Mas como ela teria conseguido aquela informação senão lendo a sua mente? Seria sua vontade de convencê-los a desistir tão grande a esse ponto?

No entanto, isso não mudava nada. Beren e Astaror, assim como o saudoso Rhalevhan, já haviam discutido tal questão anteriormente e decidido que a Máscara era um assunto mais importante. Não abandonariam essa tarefa agora, logo após encontrarem o instrumento que poderia levá-la à destruição.

O longo debate continuou, sem que se achasse uma solução. Felana estava decidida a cumprir a tarefa sozinha e nenhum argumento parecia capaz de mudar sua opinião. Mas aquela não era uma decisão que pudesse ser tomada apenas por eles quatro. Decidiram ir de encontro aos demais, aonde, enfim, acreditavam poder encontrar um meio-termo que a todos agradasse.

Unmada, Astaror e Felana começaram a seguir em direção ao restante do grupo, quando Beren resolveu dar uma última vislumbrada no acampamento. Ele ainda não conseguia compreender a ordem do local, ainda mais ao saber que havia sido alvo de um ataque. Sacou a Piscadinha e o que viu mudou completamente o rumo daquele encontro...

Comentários

  1. soh faltou colocar no final do texto:
    Tan-Daaan!

    ResponderExcluir
  2. kkkkkkkkkkk...

    Tentarei postar o restante da sessão ainda antes do Carnaval, Diego... Parei no meio só pra criar expectativa (e pq já estava ficando bastante tarde, rsrs)... Mas devo adiantar que fiquei bastante surpreso com o resultado da batalha...

    abs

    ResponderExcluir

Postar um comentário