O Início de Tudo - 18º Ato

Após explorarem um corredor repleto de estátuas de Zagyg e portas que não levavam a lugar algum, o grupo resolveu atravessar uma antiga ponte de madeira, que atravessava um grandioso e profundo cânion subterrâneo.

Do outro lado chegaram ao que parecia a entrada de um castelo, com uma gigantesca e maciça porta de pedra e duas portas laterais. Também havia um grande cristal verde, que descia do teto quase até o chão e estava circundado por quatro estátuas de Zagyg.

Tendo em vista a armadilha que quase matara o grupo um pouco antes, o grupo estava receoso de se aproximar do cristal. Cautelosamente, Velen conseguiu chegar até a porta esfregando-se pelas paredes e descobriu que seria impossível abri-la sem acionar o mecanismo apropriado. Todavia, apesar de ser um especialista em explorar masmorras à procura de itens mágicos, seu medo o impedia de se aproximar do cristal.

Sendo assim, o grupo voltou sua atenção às portas laterais. Elas levavam às salas da guarda. Havia uma sala de armas lotada de armas enferrujadas, uma mal cheirosa cozinha, um refeitório e uma série de dormitórios, alguns deles usados há não muito tempo. Pelo cheiro e pelas grandes ossadas no lugar, Camaban supôs que os ogros que haviam enfrentado há pouco deveriam ser os atuais ocupantes daquelas instalações.

Outras duas salas chamaram a atenção dos personagens. Uma possuía grandes correntes que desciam por aberturas na parede até a escuridão do cânion. Puxando-as, Dyuss pôde perceber que elas eram destinadas a prisioneiros, não sabendo se para torturá-los ou se para alimentar alguma grande criatura subterrânea. A outra possuía uma grande roldana que, ao ser girada, levantava a ponte levadiça pela qual atravessaram o grande cânion.

Não tendo encontrado nada, restava aos personagens averiguar o cristal e as estátuas. Haja vista a inércia do ladino, Dyuss, como um bom paladino, resolveu ele mesmo ir até o cristal. Não ativou qualquer armadilha, mesmo ao tocar a pedra, e percebeu a existência de um ponto escuro dentro do cristal, como se alguma coisa estivesse presa dentro dele.

Enquanto isso, Camaban verificava uma das estátuas. Descobriu que um dos braços se movia. Seu dedo indicador estava esticado, como se apontando alguma coisa. Em um insight, resolveu apontar o braço para o ponto escuro dentro do cristal e pediu para que os outros personagens fizessem o mesmo com as demais estátuas, não sem antes mandar que Lianon entrasse em um dos corredores laterais. Antes todos tivessem feito o mesmo...

Quando o último braço foi colocado na posição correta,  raios verdes partiram na direção do cristal, transformando-o em pó. Os raios ricochetearam para todos os lados e os personagens desesperaram-se. Velen conseguiu lançar-se atrás de uma das estátuas, assim como Dyuss. Mas o druida e o gnomo não tiveram a mesma sorte...

Sooty sabia do que se tratava aquela magia e sabia que provavelmente seria morto se fosse atingido. Deu um grito de horror ao perceber o raio vindo diretamente na sua direção e desapareceu numa nuvem de poeira! Horrorizado, Camaban viu a morte do amigo e a vinda de um outro raio. Sem tempo de reação, apenas esperou pela morte...

Porém, subitamente, um outro raio verde veio da ponte, chocando-se e eliminando-se mutuamente. No chão, ainda assustado, viu Solfiere aproximando-se, com um olhar ao mesmo tempo ríspido e preocupado. Ele ralhou com os personagens, acusando-os de sua irresponsabilidade em adentrar o castelo mesmo após todos os seus avisos. O resultado estava ali, com o gnomo reduzido a um punhado de pó...

Após os ânimos se acalmarem, e enquanto Velen colocava o que sobrara de Sooty em um saco e Dyuss pegava uma grande chave no chão (o ponto escuro dentro do cristal), o mago explicou que ele e seus antigos companheiros dirigiram-se ao portal de Brygette para explorar a Torre de Magia do Castelo Greyhawk. Logo após passarem, ele fechou o portal, justamente para evitar que o grupo se arriscasse novamente. Acreditara que isso seria suficiente para protegê-los, mas qual não foi sua surpresa quando, dias depois, magicamente viu os personagens dentro do castelo! Garael sentia-se responsável por ter colocado o grupo em risco e requisitou ao mago que viesse até os personagens para ajudá-los ou, se possível, fazê-los enfim entender o risco da empreitada em que se colocaram.

O grupo não queria desistir tão rapidamente, contudo. Teimosos, queriam prosseguir. Estavam ali há poucas horas, haviam conseguido abrir a infame porta e ao menos explorariam aquele local.

Logo assim que atravessaram a porta, uma área de escuridão foi lançada. Era impossível ver o que quer que fosse, mas era possível ouvir a presença de criaturas. Camaban transformou-se em morcego e saiu voando da área. Haviam quatro ogros aproximando-se do grupo, um deles aparentando ser um praticante das artes arcanas. Resolveu ir para trás daquele e pegá-lo desprevenido.

Enquanto Solfiere tentava, sem sucesso, dissipar a escuridão mágica, o ogro mago conjurou um Cone de Gelo. Velen, já bastante combalido, tombou. Os outros atingidos conseguiram suportar o dano, mas a situação era precária.

Em uma segunda tentativa, a área foi dispersa por Solfiere, bem a tempo dos personagens se protegerem do ataque dos ogros. O grupo já havia lidado com outros ogros dentro do castelo e não tiveram dificuldade em rapidamente virar a situação do combate. Surpreendido pelo ataque leonino de Camaban, o ogro mago viu-se acuado quando seus soldados começaram a tombar sob os ataques de Dyuss, Lianon e Solfiere. Conjurou uma Porta Dimensional e desapareceu. Mas não para muito longe. Camaban sentia seu odor e partiu em seu encalço, sendo seguido pelos demais. Seu rastro levou-os a um corredor sem saída e o grupo decidiu retornar até o cadáver de Velen antes de prosseguir.

O que farão agora? Retornarão para a superfície ante a prova incontestável do perigo em que se meteram e para velar seus dois companheiros mortos ou seguirão teimosamente em sua busca? Só o destino dirá...

Comentários

  1. Embora não saiba se voltaremos ou não para essa campanha algum dia, resolvi atualizar o blog.. Pelo menos agora o Bogus saberá exatamente como foi a morte do Sooty...

    ResponderExcluir
  2. Eu acho que de qqr forma, mesmo que voltemos, como só tem o Dyuss e o Camaban em pé, com o Solfiere 'quase npc', nós vamos sair de lá. Eles não sustentariam a idéia, ainda mais depois de 2 mortos.

    ResponderExcluir
  3. É o mais provável sim...

    E será que começamos Kalamar realmente nessa quinta?

    ResponderExcluir
  4. Só para movimentar os comentários, segue uma notícia do fim de semana acerca da transformação do filme O Hobbit em trilogia: http://www.valinor.com.br/18081/...

    Tem também esse link com os possíveis nomes do segundo filme (alguns falam ser do terceiro, mas "Lá e de Volta Outra Vez" tem que ser o fechamento, caso contrário não fará sentido): http://www.cinemaemcena.com.br/plus/modulos/noticias/ler.php?cdnoticia=45735

    abs

    ResponderExcluir
  5. Já viu a notícia abaixo, Diego? Tem uns malucos criando um mod de Westeros em Skyrim. E estão fazendo um mapa gigantesco:

    http://omelete.uol.com.br/games/game-thrones-sera-recriado-em-skyrim/

    ResponderExcluir

Postar um comentário