O Início de Tudo - 10º Ato

Guiado por Sooty, o grupo seguiu diretamente à sala com a imagem do demônio. Afinal, não havia muito tempo a perder, já que novos guardas poderiam aparecer a qualquer momento.

A imagem era realmente assustadora. O trabalho do escultor era magnífico, sendo perfeitamente possível acreditar que a criatura estivesse verdadeiramente ali (circunstância que ficava ainda mais evidenciada em razão dos olhos vermelhos e brilhantes). E o trabalho efetuado na outra carranca era ainda mais impressionante, sendo uma versão deformada da primeira, realizada em seus mínimos e mais horripilantes detalhes.

Camaban olhava com muita atenção para as mesmas. Embora aquelas imagens não trouxessem a forma usual com que Erythnul era retratado, era perfeitamente possível ligar as imagens a seu culto. Ele era o deus da inconstância e aquela deformação poderia ser uma forma de representá-lo. Talvez aquela sala fosse dedicada às orações de Brygette e Managaius, um local em que mostravam a sua adoração.

Enquanto Sooty verificava e encontrava uma aura mágica poderosa logo atrás da parede, o druida se aproximou de demônio de olhos vermelhos. Verificando atentamente, percebeu a existência de um mecanismo dentro da boca escancarada, o qual, ativado, revelou uma passagem secreta.

Era uma câmara pequena, bastante empoeirada. A aura mágica vinha justamente dali, com os personagens tendo um certo receio de adentrá-la (especialmente ao ser identificado o seu efeito de transmutação).

Aproveitando uma leve distração de Dyuss, Sooty deu um pequeno empurrão no paladino, que entrou na câmara, olhou com uma cara assustada para trás e simplesmente desapareceu!

Todos olhavam embasbacados, sem entender o que havia acontecido, quando, segundos depois, ouviram um barulho de uma forte pancada em uma porta atrás deles. Era Dyuss, se levantando com a mão na cabeça. Ele se lembrava de ter sentido uma estranha sensação de dormência no corpo e de bater com a cabeça na porta. Mais nada...

O grupo conversou por um longo tempo. Cogitou-se a possibilidade da magia ter falhado com o paladino e daquela ser uma forma da rhenee se deslocar até a sua torre. Mas só havia uma forma de descobrir.

Sooty, sempre curioso, foi o primeiro a entrar, mas nada ocorreu, apenas uma leve dormência nos seus membros. Desapontado, deu lugar a Johann, que, logo que percebeu o efeito da magia, deixou-a correr pelo seu corpo, sem resistir, e desapareceu da vista de todos.

Mas o grupo não desapareceu de sua vista. Tudo parecia meio enfumaçado, embaçado, mas ele era perfeitamente capaz de ver e ouvir seus colegas. O inverso não ocorria, entretanto. Logo o mago lembrou-se de seus ensinamentos arcanos e percebeu que havia sido transportado ao Plano Etéreo, que existe paralelamente ao Plano Material, sendo capaz de atravessar objetos sólidos e flutuar. Ele seguiu pela parede, percebendo tratar-se de rocha sólida. Apenas após algum tempo chegou a um outro túnel, muito mais antigo do que aquele em que estavam. E o objetivo da câmara começava a se revelar...

O gnomo resolveu tentar novamente. Mas, antes, deixou Peruca com Camaban, assim como uma boa quantia em dinheiro, a qual deveria ser entregue ao garoto de forma a salvar sua mãe. Em contrapartida, cabia a ele cuidar dos cavalos até o retorno do grupo.

Dessa vez deixou a magia seguir seu curso e acabou encontrando com Johann. Os dois andaram por um tempo, descendo algumas escadarias, e o clérigo de Beory pôde revelar-lhe um pouco da história daquele local. Era dito nos livros que a cidadela de Greyhawk havia sido construída sobre uma série de túneis ancestrais, cuja entrada havia sido perdida há muito tempo com um desabamento na parte alta da cidade. Não se sabia exatamente quem construíra os túneis, nem o porquê, mas era óbvio que deveriam haver muitos objetos interessantes no local, o que deve ter atraído Brygette, àvida colecionadora de antiguidades.

Cientes de que a magia acabaria em algum momento, Sooty pegou uma folha de papel e voltou rapidamente à câmara, onde anotou um recado instruindo os demais a segui-los pela parede. Quando a magia acabasse, o recado ficaria visível para seus companheiros. Também passou um recado telepático a seu familiar: não entrar com Camaban na câmara, devendo esperar do lado de fora a fim de ser útil no caso de alguma eventualidade...

Camaban foi até Garen, contou o que haviam descoberto e a possibilidade de terem encontrado um portal para a torre da rhenee. Passou o recado do gnomo ao garoto, que, feliz com o dinheiro, logo se prontificou a levar os cavalos a um estábulo. O druida deixou mais algumas peças de ouro para cobrir tais gastos e voltou ao túnel, juntamente com o guerreiro e Lianon.

Não havia tempo a perder. Logo se encontraram com Dyuss, viram o recado de Sooty e atravessaram a parede.

Após o término da magia, todos puderam se ver novamente no Plano Material. O reencontro foi em uma grande câmara circular, com um sol imenso pintado no piso. Havia um lago circundando-o e era possível perceber um pequeno ponto de luz no teto, que se encontrava muitíssimos metros acima. Havia uma grande porta, trancada e recheada de runas desconhecidas. Uns três metros acima dela, havia uma águia esculpida sobre uma pequena abertura.

Escalando, o gnomo conseguiu alcançar a abertura e percebeu a existência de um cristal. Talvez refletindo-se a luz do teto fosse possível ativar algum tipo de mecanismo no cristal que abrisse a porta, mas ninguém possuía um espelho ou outro objeto reflexivo o suficiente.

Na tentativa de localizar alguma coisa que fosse útil, Camaban e Garen passaram a investigar o lago. O druida percebeu a existência de uma escultura de uma mulher no interior do lago, assim como uma estranha e comprida pedra. A qual se tornou ainda mais estranha quando rapidamente se moveu na sua direção!

Um enorme e horrendo verme surgiu na superfície do lago. Sua pele era arroxeada, mas meio translúcida, sendo possível observar estranhos órgãos pulsando sob ela. Rapidamente atacou os dois personagens mais próximos com seus tentáculos. Errou o druida, mas Garen, surpreendido, acabou agarrado e levado perigosamente em direção à bocarra do verme.

Um tenso combate se seguiu. A criatura conseguia atacar com sete de seus tentáculos e mostrava uma forte resistência aos golpes dos personagens. Por muito pouco Garen não acabou engolido, sendo salvo por uma magia de Sooty, que o tornou escorregadio. Porém a queda o feriu gravemente, sendo necessária a intervenção de Beory pelas mãos de Johann.

O grupo precisava usar de todas as suas habilidades para derrotar a criatura e o combate seguia frenético. Dyuss acabou agarrado e levado à boca do verme. Gritos de dor demonstravam a gravidade da situação do paladino, mas o grupo não possuía meios de libertá-lo, a não ser matando a criatura. Lianon também foi pego e a situação ficava ainda mais crítica, quando o gigantesco verme finalmente caiu...

Camaban rapidamente correu até Dyuss. Conjurou um feitiço de cura antes de qualquer coisa e averiguou os batimentos do combalido paladino. Não havia mais o que fazer. Sua alma já se dirigira aos salões de Heironeous, aonde seria julgado por suas últimas ações...

Comentários

  1. que merda.
    Lá se vai meu paladino querido :'(

    ResponderExcluir
  2. Nao tem nada a ver com a sessão nem com o dyuss, mas é um video bem legal de uma abordagem diferente desse negocio com jogos.
    http://www.youtube.com/watch?v=dE1DuBesGYM

    ResponderExcluir
  3. E a sanha assassina do mestre continua...

    Será que algum personagem conseguirá retornar vivo à superfície?

    ResponderExcluir
  4. E ae, vcs jogaram esse fim de semana?

    ResponderExcluir
  5. Em breve a sessão estará resumida aqui, Diego. Comecei o post ontem, mas acabei deixando-o de lado porque ainda não consegui alcançar uma narrativa que me agrade. Mesmo não conseguindo, ele sairá ainda nessa semana...

    Caso você e Bogus subam no próximo fim de semana, avisem, pra gente ver se marca outra (isso se Mario e Cacá puderem). Eu ainda não tenho absoluta certeza se poderei... Pintou uma viagem, mas não estou com a menor vontade de ir. E caso role jogo esse vontade chegará a zero com certeza, rsrs...

    ResponderExcluir
  6. Opa! Vontade do Robinho de Viajar = ZERO então, porque eu posso jogar sim e to na pilha absoluta! rsrs

    As últimas sessões renderam muito bem. Não lembro no passado recente de três ou quatro sessões em seguida assim. Deu pra divertir bem.

    Então, no que depender de mim, podemos jogar. Agora é com vocês, vai do quorum.

    Não podemos depender do Bernardo tbm. Embora acredite que ele vá pilhar se geral estiver na pilha de jogar tbm - especialmente se o Diego subir (daí o Bogus deve subir tbm).

    Mas mesmo sem ele acho que pode rolar game.

    ResponderExcluir

Postar um comentário