A Lenda da Folha Caída - 23º, 24º e 25º Atos

Após a estadia em Cilorealon, o grupo partiu para o interior do Lago Renador, buscando encontrar as ilhas secretas de Úran e Nóran, onde o Espelho de Gelthangor foi escondido.

Somente após dissipar uma neblina mágica foi possível ter uma visão das ilhas. O navio não podia ser aproximar muito, mas com botes os personagens chegaram até terra firme.

O primeiro contato com a ilha, contudo, não foi bom. O grupo encontrou um par de animais bizarros. Eram duas aves gigantes, muito estranhas e que soltavam uma contínua cortina de gases negros. Tais gases intoxicaram alguns personagens, os quais ficaram confusos por algumas horas - até o que efeito passasse.

A expedição continuou até que o grupo encontrou um gigante com duas cabeças rumando para seu covil. Sem saber qual a natureza do guardião do Espelho (mas apenas seu nome: coatl), os personagens decidiram seguir os passos no Ettin, para tentar descobrir mais sobre a natureza da ilha e, por ventura, sobre o paradeiro do Espelho.

Entretanto, aquela caminhada levou conduziu o grupo para uma região perigosa. Inadvertidamente, os personagens se viram em meio a um bosque repleto de aranhas de todos os tipos e tamanhos. Um longo e doloroso combate teve início.

As forças do grupo foram muito consumidas, e quando uma aranha imensa surgiu para o confronto final, foi com a ajuda dos deuses que os personagens obtiveram êxito. Somente com muito descanso puderam continuar.

Alguns dias depois, o grupo encontrou uma ponte precária, que levava até a ilha adjacente. Lá, encontraram um antigo templo abandonado, o qual passaram a explorar.

O local era imenso, com três amplos andaram subterrâneos adornados com fontes de água e esculturas belíssimas. Os dois primeiros andaram estavam povoados apenas por estátuas e pinturas que retratavam as eras da primavera e do verão, com diversas passagens famosas dos contos élficos devidamente representadas.

O último andar, contudo, parecia vazio. Era um imenso salão escuro, no centro do qual o grupo encontrou um grande lago circular. Após alguns minutos contemplando os mistérios do lago, um velho surgiu da escuridão para interpelar os personagens.

Seu nome era Coatl, e ele lhes disse que aquele lago é o Espelho de Gelthangor. Astaror lhe perguntou COMO poderiam utilizar o Espelho para derrotar a Máscara e Kabori, mas o Coatl foi lacônico e lhes garantiu que eles saberiam quando fosse chegado o momento.

Astaror teve, então, uma brilhante idéia. Ele usou as mãos para pegar um pouco de água do lago e, com seu poder mágico, a congelar formando um pequeno espelho. Foi neste momento em que Astaror viu que Allus estava envolto em sombras, com um rosto desfigurado e assustador.

O bárbaro não teve muito tempo para pensar, pois Allus disparou um relâmpago em sua direção.

Astaror se esquivou, e conseguiu rapidamente se aproximar do mago e lhe aplicar uma gravata. Com o arcano preso com sua manobra, Astaror usou o espelho de gelo novamente, vendo desta vez com mais clareza que aquele não era Allus de verdade.

Quem quer que fosse, aquele que se passava por Allus se libertou da gravata, usando um portal dimensional para aparecer por detrás do Coatl, matando-o em seguida com um profundo corte de adaga na garganta!

O corpo do velho caiu dentro do lago e enquanto o grupo estava pasmo tentando compreender a gravidade do que estava acontecendo, o demônio mostrou sua face.

Allus se transformou numa imensa e grotesca criatura alada: seu nome era Veonamë, e ele jurou que a sorte do grupo terminava ali.

Um grande combate começou.

A criatura tinha uma pela grossa quase impenetrável e poderes quase ilimitados. O grupo demorou um pouco para conseguir organizar uma estratégia eficaz de combate. Quando todos se concatenaram para cercar o demônio, ele simplesmente de teletransportou para a outra margem do lago e lançou uma poderosa Bola de Fogo sobre o grupo.

Aquele ataque mágico estraçalhou Rhalevahn e Fulrik, cujos corpos foram partidos em diversos pedaços - para HORROR dos demais personagens.

Astaror ficou furioso e avançou loucamente pra cima de Veonamë. Enquanto isso Beren, que estava dentro do lago, avistou um foco estranho de luz vindo de seu interior. Usando Patas de Aranha para chegar rapidamente ao fundo o lago, Beren verificou que aquela luz provinha de um colar que estava no pescoço do Coatl. Ativando-o, quando de volta à superfície, Beren libertou o verdadeiro gaurdião do Espelho: um Coatl de verdade, uma grande serpente alada!

Com a ajuda do guardião, o combate ganhou novo e feroz rumo. O Coatl sozinho não seria páreo para o demônio e, por isso, usou sua poderosa mágica para invocar outro Coatl.

Como terminará esta luta?