RPG, paz e amor!

O Tribunal de Justiça de Minas Gerais decidiu nesta terça-feira (8) manter a decisão do julgamento que considerou inocentes três acusados de matar a estudante Aline Silveira Soares, em um jogo de RPG em outubro de 2001, na cidade de Ouro Preto (MG). O julgamento ocorreu em julho de 2009. Cabe recurso. O Ministério Público infiormou, por volta das 15h desta quarta-feira (9), que não pretende recorrer da decisão.

Segundo o Tribunal de Justiça, a desembargadora Márcia Maria Milanez, que analisou a apelação do Ministério Público, considerou que não apareceu nenhuma prova nova que comprovasse a participação dos acusados no crime.

Entenda o caso

Aline Silveira Soares foi encontrada morta em cima de um túmulo no cemitério da Igreja Nossa Senhora das Mercês, na madrugada do dia 14 de outubro de 2001. A jovem tinha 18 anos. No jogo RPG, os participantes assumem personagens e representam uma história.

Três pessoas foram acusadas pela morte da estudante, mas foram absolvidas do crime em 5 de julho de 2009, após cinco dias de julgamento.

FONTE: G1

- - -

OK, OK - como diria Nelson Ruuuuubens do Tv FAMA (aeeewwww)!!!

Lamentável que os caras não tenham sido presos mesmo. Afinal, é muito provável que eles tenham realmente algum envolvimento com o homicídio da Aline. A toda evidência, esse é mais um caso em que a Justiça brasileira mostra-se ineficaz.

Por outro lado, o desfecho desta história possui um aspecto positivo. Com a absolvição dos acusados, o RPG também obteve rendenção, já que, para quem não se lembra, a mídia fez um estardalhaço enorme envolvendo o RPG como um dos "elementos" do crime, associando-o a rituais de magia negra e, guardadas as proporções, quase o elevando a uma espécie de qualificadora do crime - como se jogar RPG levasse as pessoas a praticar crimes.

O caso de Aline foi um marco negativo para a história do RPG no Brasil e gerou uma publicidade muito negativa. Não sei dizer se isto impactou significativamente o mercado nacional. Devemos colocar as coisas em perspectiva e lembrar que em 2001 (quando o crime ocorreu) D&D 3ª Edição ainda estava "bombando" e, com toda a falação idiota da imprensa e publicidade negativa, não duvidaria de uma queda de vendas no Brasil.

Fato é que todos sabemos o quão estúpidas estas colocações da imprensa foram. Mas, no final das contas, a sensatez acabou prevalecendo. Muita gente vai continuar acreditando que o RPG é coisa do "mal", mas fazer o que né? Cada um crê naquilo que quer. Eu até entendo estas pessoas, porque sei que a maioria de nós prefere inventar desculpas e justificativas esfarrapadas para compreender as violências da vida e as loucuras do ser humano. Alguns culpam o capitalismo, outros os espíritos, alguns o diabo e outros até mesmo Deus. Lamento que alguns prefiram apontar o RPG como culpado também. Só isso.

Comentários

  1. Aquele caso de Teresópolis também terminou com a absolvição dos acusados...

    A verdade é que a polícia é muito mal preparada e também se deixou levar por essa história, de que o rpg seria o "culpado" pelo crime, não verificando outras hipóteses e investigando devidamente. Aí deve ter ficado fácil para os advogados de defesa...

    Mas sobre essa questão do rpg, de jogadores que passam a confundir o mundo real com o imaginário (não que seja isso que tenha acontecido nos casos acima, obviamente não temos informações que nos permitam afirmar isso), tem um filme antigo chamado, se não me engano, "Labirinto de Ilusões" que é bem interessante... Não me lembro muito bem do filme, eu o vi faz muito tempo, mas o achei interessante por envolver nosso jogo preferido, hehe... E acho que o personagem principal é um jovem Tom Hanks (só isso já dá a dimensão de quão velho é o filme, rsrs)... Vou ver se procuro o filme na net depois...

    ResponderExcluir
  2. Já ouvi falar desse filme sim. Acho que o nome é esse mesmo e se baseia em alguns casos ocorridos nos EUA em que certos jogadores confundiam suas próprias vidas com a dos personagens. Houve muita polêmica por lá nos anos 80.

    Se conseguir baixar o vídeo avisa, pq podemos combinar de ver o filme. Eu, pelo menos, tenho curiosidade de ver essa merda... rsrsrs

    ResponderExcluir

Postar um comentário