EM MEMÓRIA (3) - Pietro Manes (1987 - 2009)

Queridos amigos,

Na manhã desta sexta-feira completa-se uma semana do dia em que perdemos um dos nossos maiores amigos.

Quero falar com todos vocês, quero estar com todos vocês. Mas enquanto isso não é possível, utilizo este espaço para me expressar e desafogar meus sentimentos.

Amigos, na terra só encontramos choro e ranger de dentes. Este mundo é um vale de lágrimas. Nele só passamos por mais e mais provações. Tudo o que aconteceu é apenas a demonstração da brutalidade do mundo. Pietro agora já passou por aqui e nós temos apenas alguns anos até vê-lo de novo. Esses anos para nós serão muito longos e cheios de saudades, mas para ele será apenas um piscar de olhos, porque o tempo para Deus e para aqueles que estão com o Criador é diferente do nosso tempo.

O que pra nós é uma eternidade, para Deus é uma fração de segundos.

Então, devemos tratar de viver as nossas vidas da melhor forma possível, de forma que cada pequena lembrança que tenhamos dele sirva de homenagem ao grande amigo e filho que ele foi - até o dia em que nos reencontremos.

Lembrem-se sempre que Deus é o Deus dos vivos, e não dos mortos, portanto, não devemos mais chorar a morte do Pietro, mas celebrar sua vida e a nossa própria, transformando a dor e a tristeza em saudade perene e tranquila.

Pietro viveu intensamente. Quem o conheceu sabe que ele era um sujeito ativo, animado, feliz. Nossas vidas, agora, devem refletir um pouco disso tudo também. Como bem disse nosso amigo André, todos nós temos um pouco do Pietro em nós mesmos, pois absorvemos seus trejeitos, suas gírias, sua personalidade.

Então, amigos, vamos nos reunir, vamos celebrar com carinho e afeto as lembranças deste cara fabuloso a quem tivemos o prazer de conhecer.

E que Deus abençoe a todos nós na jornada que nos resta.

Abraços fraternais,

Mario.

Comentários