35º Ato - O Legado de Sangue

Os personagens subiram pela íngreme escada até a porta de pedra, que, apesar do grande peso, foi aberta sem maiores problemas. Olhando por ela, eles viram um hall razoavelmente grande, além de dois pentagramas, um em cada lado da porta, que Allus percebeu ser algum tipo de proteção mágica.

Após acenderem algumas tochas, eles seguiram pelo hall, percebendo que os blocos de pedra que formavam as paredes não eram exatamente blocos, mas sim desenhos na pedra, que havia sido esculpida de forma a parecer ser formada por blocos. Enquanto observavam com admiração aquele extraordinário trabalho, ouviram um barulho de algum tipo de mecanismo sendo ativado. Ao olharem para trás, viram as portas se fechando sozinhas! Embora um pouco alarmados pela possibilidade de ficarem aprisionados dentro da montanha, o grupo seguiu.

Mais à frente, o grupo encontrou duas mesas com gavetas, onde havia um tipo de tabuleiro oval formado por pedras verdes e brancas com um orifício no formato de um olho no centro (que Galahad percebeu se tratar do símbolo sagrado do Cavaleiro dos Deuses), um medalhão e algumas vestimentas bastante envelhecidas. Além disso, havia uma porta dupla de madeira e uma pequena, lateral, que Galahad presumiu levar a acomodações para a guarda.

Seguindo pela menor, o grupo encontrou uma estranha criatura: um globo flutuante de luz, que acabou sendo rapidamente destruído pelo grupo. Arrombando mais uma porta, o grupo alcançou um rio que abria seu caminho por dentro da rocha. Para atravessá-lo, havia uma ponte bastante frágil, a qual Beren atravessou com facilidade. Porém, ela não suportou o peso de Kotesh, que caiu com estardalhaço nas águas revoltas e desapareceu sob os gritos de desespero de seus companheiros. Na esperança de ajudá-lo, Allus conjurou um feitiço de levitação e seguiu pelo rio. Já os demais, ante a queda da ponte, decidiram continuar a exploração separadamente.

Galahad e Vincent retornaram para o hall principal e abriram a porta dupla, chegando a uma imensa sala, com dezenas de colunas. Ao final da mesma havia um altar para o Cavaleiro dos Deuses e algumas portas. Explorando-as, eles encontraram um aposento com uma placa dourada no chão mencionando mais um dos guardiões e algumas inscrições interessantes narrando um pouco da história do lugar.

Já Beren chegou a uma grande caverna. Nela, além de vários destroços, ele encontrou uma escada e uma abertura bloqueada por grades, a qual dava para uma câmara com quatro armaduras cerimoniais portando espadas mágicas. Subindo pelas escadas, ele seguiu por um longo e tortuoso caminho, entrando num verdadeiro labirinto. Após passar por diversas salas e corredores e encontrado coisas curiosas (como um corpo preso dentro de um grande cristal e uma estrutura mecânica de finalidade desconhecida), ele ouviu sons de batalha. Concluindo que seus companheiros estavam em perigo, ele correu em seu auxílio e os encontrou justamente na sala das armaduras, e lutando contra elas!

Kotesh estava cercado no centro da sala, completamente incapaz de exercer qualquer tipo de ataque sem ser atingido. Já Allus se encontrava ao lado de uma das armaduras, já desmantelada junto ao chão, lançando seus feitiços elétricos, que, apesar de não estarem causando grandes danos, deixavam-nas mais lentas.

Com a chegada de Beren e a posterior intervenção de Galahad e Vincent (que, do outro lado do rio, viram a batalha e ajudaram da forma que puderam), a vitória foi alcançada, mas Kotesh, novamente, tombou, e apenas a providencial intervenção do meio-elfo foi capaz de salvá-lo desta vez...

Comentários