19° Ato - O Legado de Sangue

Os personagens permaneceram na floresta, próximos das bordas, aguardando a melhora de Rhalevahn e Glorath, pois seguir pelas matas tendo que carregá-los tornar-se-ia uma tarefa árdua. Pior é que pouco tempo depois de montar o acampamento, um dos grupos de guardas desginados por Bineg para procurar os personagens se aproximou, o que iniciou um novo combate - vencido pelos personagens, mas que acabou por derrubar Harric.

Agora, com três pesos "semi-mortos" tornava-se realmente impossível mover o acampamento e aparentemente a situação só iria piorar.

Aquela madrugada viu um tempo extramamente frio e por pouco os demais personagens não sofreram com hipotermia. Na manhã seguinte, Beren foi até premolen, disfarçado, mas não conseguiu penetrar na cidade, tendo constadado que realmente seus muros estavam definitivamente fechados tanto para quem desejasse entrar quanto para quem desejasse sair da vila.

Mais tarde, quando Beren já havia retornado, Astaror começou a desmontar o acampamento e Ithan decidiu vigiar as rendondezas. Foi então que ele percebeu a aproximação de um grande grupo de guardas, cerca de 50, divididos em dois grupos que saíram às matas para encontrar o grupo.

Naquele momento uma misteriosa figura feminina já havia se apresentado ao grupo. Era Aridel, a quem Beren havia salvado e libertado apesar de seus expedientes ludibriosos para roubar-lhe semanas atrás, em Unvolen.

Aridel chegou cheia de subterfúgios, causando grandes suspeitas nos personagens. A uma porque não revelou desde logo sua identidade, e a duas porque usou alguns "truques" para "valorizar" sua entrada em cena - como uma imagem "falsa" que enganou a todos.

"Lamento abordar-lhes desta forma, mas precisava me certificar de que não me atacariam!" Disse ela a fim de desfazer a confusão. "Deixe-me apresentar apropriadamente. Sou Aridel, e vocês já me conhecem."

Ao dizer isso, a mulher dava um passo à frente. Seu manto adornado era aberto na fronte, e um capuz cobria seu rosto. Com aquele passo, sua perna direita ficou descoberta, revelando-se bem torneada.

Beren foi quem mais prontamente reconheceu a moça. Os demais demoraram a ver nela aquela "escrava" que havia pertencido por tão pouco tempo ao meio-elfo em questão - certamente porque ninguém lhe deu muita atenção naqueles dias.

Um breve diálogo se deu entre os personagens e a mulher. Ela contou que conseguiu seguir o grupo até as imediações de Premolen, contudo os perdeu de vista pouco antes de chegar à cidade. Quando Beren, naquela manhã, foi até as imediações da vila, Aridel o avistou (ela já havia deixado a cidade por conta do toque de recolher decretado pelas autoridades). A partir de então, o seguiu até o acampamento dos personagens no interior da Floresta de Brolador.

"Eu quero ajudar-lhes, vim para oferecer meus préstimos." Disse Aridel, justificando sua atitude. "Isto, é claro, em respeito e como forma de demonstrar a gratidão que sinto pelo que fizeste a mim. Poderias ter-me deixado à mercê daqueles homens inescrupulosos, ou ter-me usado como escrava pelo que a Lei assim o dava direito. Contudo, demonstraste bondade e grande nobreza para com minha pessoa. Por isso quero retribuir-lhe."

Aridel disse ser de um local chamado Basir, um ducado distante, além das Montanhas de Elanon. Ela demonstrou estar na Brondobia à procura de "algo" (ou alguém), e se aliou aos bandidos que assaltaram Beren em Unvolen com a esperança de que eles cumprissem sua palavra de servir-lhe de guia por aquelas terras. Desncessário dizer que eles não cumpriram sua palavra...

Houve tempo ainda para que Aridel entregasse a Beren um preparo de ervas que trouxe consigo, a fim de que fosse ministrado à Rhalevahn (quem estava mais ferido).

Após, parte daqueles soldados que se reuniam nas imediações da cidade chegaram ao acampamento, Ithan e Astaror saíram em disparada a fim de tentar chamar a atenção dos homens para si, afastando-os do acampamento. Esta estratégia quase deu certo, mas alguns guardas acabaram encontrando o esconderijo do grupo. À esta altura, Beren já estava na copa de uma árvore alta e viu quando elfos que estavam escondidos naquelas alturas passaram a atacar os guardas.

Foi uma verdadeira covardia, pois os guardas não tinham qualquer chance. Aparentemente não estavam esperando uma retaliação deste tipo. Os elfos miravam especialmente nos líderes dos guardas, como Branduk, por exemplo, e logo que estes foram derrotados (mortos em alguns casos), os homens foram se desesperando e a organização se perdeu. Logo, naquela batalha, cada um lutava por si. Astaror e Ithan estavam enfretando alguns destes guardas também, em combates corpo-a-corpo ferozes. Isto sem falar nos cães de caça que acompanhavam a tropa.

Logo o combate terminou, com uma derrota fragorosa da tropa de Premolen.

Comentários

  1. o nome da mulher não era Aridel?? rsrsr

    um abraço e feliz natal pra todos!!!

    ResponderExcluir

Postar um comentário