8° Ato - O Legado de Sangue - FIM DA PRIMEIRA PARTE

(bem breve para evitar a fadiga)


Os personagens conseguiram, finalmente, localizar o esconderijo élfico e, então, encontraram com Elassil e os seus demais conselheiros. Ithan estava muito doente à esta altura. As manchas negras em seu corpo se alastravam rapidamente, e as vertigens se tornaram uma constante. Com isso, a primeira providência do grupo foi conseguir auxílio, junto aos elfos, para que Ithan pudesse se recuperar do que quer que fosse aquela doença.

Após a tomada destas providências, Harric entregou para Elassil o documento referente ao suposto traidor, omitindo por completo a existência da carta sinistra que mencionava o Lorde Dúrzgol.

Depois de ler atentamente o conteúdo do documento entregue por Harric, Elassil logo soube apontar o traidor. Dirigindo-se a um de seus conselheiros, levando suas mãos aos seus ombros, Elassil lhe diz:

"Por que? Por que nos traíste Ondamion?"

Em seguida Elassil caiu ao chão ensanguentado. Por debaixo dos panos e mantos de sua veste, o conselheiro em questão guardava um punhal afiado, o qual não hesitou em cravar no intestino de Elassil, que não teve nem sequer tempo de reagir.

"Ondamion... meu filho..." Os lamentos do líder élfico ecoam pela sala, enquanto Ondamion já se projetava numa corrida desesperada para o exterior do esconderijo. Contudo, na porta de saída estava Astaror.

Acuado, Ondamion teria de enfrentar o enfurecido Harric além da potência de seus demais colegas.

Um feroz combate se iniciou. Para a a surpresa de todos, Ondamion se aproximou em demasia de Harric e, tocando-o, assumiu uma aparência idêntica à sua. Com uma série não muito articulada de movimentos, ambos acabaram se misturando, o que confundiu a todos os presentes.

Por fim, o impostor acabou derrotado (não sem muita discussão e briga) e, uma vez capturado assumiu sua verdadeira forma - uma criatura acinzentada, de corpo esguio, braços longos e uma cabeça desproporcional. A critura negava-se a falar qualquer coisa, pois sabia que iria morrer de qualquer forma. Astaror, contudo, costurou um acordo: trocaria as respostas pela liberdade do seu adversário. Assim, perguntada, a criatura revelou que trabalha para o atendimento de seus próprios interesses, mas que realizou algumas tarefas para um tal de Lorde Dúrzgol a fim de obter alguma recompensa que o valesse.

"Eu não sirvo a nada nem a ninguém senão somente a meus interesses e a mim! Sim, trabalhei para Dúrzgol, mas foi apenas uma breve e simples tarefa."

Quando instado a se explicar, falando sobre tal tarefa, a criatura disse que se tratava justamente de seqüestrar o bebê e sua tia. Mas quando perguntado sobre qual o objetivo de tal demanda, não soube ou não quis explicar.

"Tive que capturar aquele bebê. Entreguei-o a Dúrzgol, a seu mando. Não sei o que ele pretende fazer com aquela criança humana. Como disse, meus objetivos são outros e a tarefa que realizei foi circunstancial, então pouco me importa conhecer os objetivos daquele homem sinistro.

Qualquer criatura sã teria receio em lidar com Lorde Dúrzgol, pois seus olhos inspiram medo. Poucos perceberam isso na corte do Duque, mas eu sei que Dúrzgol é um membro dos Templos das Noites Não Dormidas."

Diante de tais informações o grupo acabou permitindo que a criatura fugissse. Mas logo em seguida Astaror e Rhalevahn partiram em seu encalço - imaginando que seria fácil abatê-la: ledo engano.

Mais tarde, com todos novamente reúnidos, viu-se que Elassil sobreviveu ao ataque do falso Ondamion. A situação de Ithan era grave, no entanto.

Onwilnomë, o curandeiro élfico, afirmou que os espíritos lhe disseram que Ithan está tomado pela Praga Negra, uma pestilência das mais graves que, segundo os sábios, é fruto dos trabalhos nefastos do Senhor da Podridão (Gherhimn em élfico ou Drelmn, em Brandobiano). O destino mais provável de Ithan será a morte, a menos que lhe seja ministrado um exótico elixir preparado a base de uma orquídea não menos exótica. Esta orquídia é conhecida por florir apenas nas regiões das Montanhas Lopoliri, mas relatos de viajantes élficos dos Bosques de Lendel davam conta da existência de tais flores raras também nas Montanhas Elanon, próximo aos Picos de Legasa.

Os personagens ficaram, portanto, confrontados com um sério dilema:

Se de um lado tinham o bebê a ser resgatado das mãos de Dúrzgol; de outro tinham a vida de Ithan correndo sério perigo.

Onwilnomë houvera garantido que, com cuidados e assistência dos espíritos, Ithan suportaria não mais do que 2 ou 3 meses, se tivesse sorte e um espírito valente. Uma viagem até as Montanhas de Elanon não consumiria muito menos tempo do que isso, portanto, o grupo precisaria trabalhar com um cronograma deveras apertado e isto representaria abdicar do resgate do bebê por pelo menos igual período.

É certo que, se o que a asquerosa criatura contou for verdade, o bebê já pode estar morto. Agora, conforme apontou Rhalevahn, se Dúrzgol até agora não matou o bebê, pode ser que ele tenha planos de outra sorte para ele - o que se mostraria mais intrigante e, quiçá, perigoso, pois ninguém conhece Dúrzgol, mas apenas se tem idéia de um possível relacionamento seu com o Templ das Noites Não Dormidas (que Ralevahn pouco conhece).

Os personagens resolveram, ao fim de longa discussão, tentar salvar a vida de Ithan.

Será que a decisão foi a mais acertada? Haverá tempo hábil para salvá-lo?

E o bebê? O que será feito dele? Que sorte de destino cruel o aguarda?

Só nos próximos capítulos...

Comentários

  1. tá pensando em dar uma parada??

    bem, não esperava que o pessoal fosse deixar o sujeito ir embora, especialmente um cara que pode assumir a forma de qualquer um (além de ler a mente de seus interlocutores, tornando muito fácil se disfarçar)... podemos vir a ter contato com esse sujeito e nem saber... sem contar que achava que os elfos não permitiriam... mas, agora já era e realmente ele não iria abrir a boca se não achasse, ou melhor, "lesse" a verdade...

    sobre a escolha, não há o que dizer: a morte do ithan é certa, salvo se conseguirmos a referida orquídea... já o salvamento do bebê, aidna pode ser possível mesmo depois, pois não sabemos exatamente quais os planos de Durzgol, como Ralevhan bem apontou... se o objetivo dele for matá-lo, ele já está morto... a não ser que ele busque algum tipo de troca, mas temos muito poucas informações para supor isso e acredito que seus objetivos podem ser mais obscuros, tendo em vista o teor da carta...

    por último, o que Ralevhan sabe sobre esse Templo das Noites Mal Dormidas??

    abs

    ResponderExcluir
  2. O Astaror e o Rhalevahn tentaram recapturar a criatura em seguida. Astaror na verdade prometeu 5 minutos para que ela pudesse fugir, achando que seria fácil conseguir pegá-la depois. Mas não deu certo (muito em função do fato de Rhalevahn ter insistido em ir junto, o que atrapalhou a caçada).

    Ralevahn conhece muito pouco do Templo das Noites Não Dormidas. A criatura mencionou que eles são adoradores d'O Terrível, a Mão de Ferro, o Sultão do Medo. Mas Rhalevahn realmente desconhece qualquer informação mais relevante, até mesmo porque na Svimohzia ele não estudou sobre tal Templo.

    Pois é... a criatura é perigosa mesmo. Ela chegou a dizer que tinha a intenção de formar, talvez, um pequeno domínio na Floresta de Brolador e por isso se infiltrou entre os elfos. Ela realmente demonstrou possui algum tipo de poder telepático, pois conseguia ler alguns pensamentos. Então seria um adversário formidável para os personagens.

    Abraços

    ResponderExcluir
  3. Templo das Noites Mal Dormidas = templo da insônia haha
    Piada que eu faria se estivesse na mesa com certeza!

    E o Ithan num ta doente é apenas o simbionte tomando conta do corpo dele.

    Se eu tivesse no meio ai iria atraz do bebe, mais importante q o Ithan no meu ponto de vista, o Ithan tem carater duvidoso e é assassino de velhinhas, talvez seja por isso q ele deve ter sido amaldiçoado com essa coisa ai...
    e outra o personagem de vcs deve conhecer o ithen a ñão mais que 2 meses, isso pr amim num é um tempo muito grande pra uma amizade q se possa respeitar e por acima da vida de um bebe inocente q vcs já deram a vida pra conseguir alguam informação a respeito...jogar isso tudo fora por um maluco ai num é muito decente...em respeito ao q o Ithan já fez de bom na vida acho q vcs deviam savar o Bebê

    Falei ta falado, talvez o Mario possa dar esse discurso por mim na proxima sessão =P

    Abraços pra todos

    ResponderExcluir
  4. Pois eh... vendo de fora eu concordo com o Cacá...

    ... mas na sessão o Ithan deu a entender que preferia que optassem pela vida dele. Achei que isso seria uma reação lógica, justamente pq ele não tem tantos escrúpulos assim e, nestas horas, o instinto de sobrevivência fála muito alto.

    Mas que realmente ninguém ali tem amizade suficiente para optar pelo Ithan, isso é fato.

    Por outro lado, ninguém tem nenhum compromisso em salvar o bebê. O fato é que dezenas de pessoas são mortas diariamente de forma injusta em Eldor - a maioria delas vitimadas hora pelas Cortes da Iniquidade, hora pelas condições precárias de vida. De qualquer forma, os personagens jamais serão capazes de mudar essa realidade.

    Mas é uma discussão interessante!

    ResponderExcluir
  5. bem, como eu, jogador, não estava lá, não sei o que o ithan disse para sensibilizar os personagens, mas acho perfeitamente natural o mesmo buscar se salvar...

    apesar de não haver uma amizade, seria estranho simplesmente abandonar um sujeito que conviveu todo dia com você durante mais de dois meses, inclusive em momentos de extremo perigo e dificuladdes, pra salvar um bebê que nem sabemos se está vivo... pra mim o ideal seria conseguir alguém que pudesse buscar essa orquídea pra nós, provavelmente um dos própios elfos, enquanto fôssemos atrás do bebê... assim, não perderíamos um tempo que, talvez, possa nos fazer falta no futuro... porém, não sendo possível, seria desconfortável abandonar o ithan para uma morte certa... de qq forma, discutiremos isso melhor amanhã...

    abs

    ResponderExcluir

Postar um comentário