Breve resumo sobre as nações do leste de Flanaess

Reino de Nyrond é um terra bondosa arrasada por anos de guerras e agora por uma guerra civil. O Rei Archbold foi traído por seu filho mais novo, que tentou tomar o trono à força, mas foi impedido por seu irmão mais velho, Sir Lynwerd. Archbold fora envenenado, e sua idade avançada não permitiu sua recuperação completa, assim Lynwerd acabou assumindo as funções do Rei - embora oficialmente Archbold continue governando. Sewarndt, o traidor, fugiu para o interior após sua tentativa frustrada de tormar o trono, e sua localização exata é incerta. Recentemente, além das batalhas costumeiras com o Reino de Aerdy, Nyrondy tem-se envolvido em disputas territoriais com a Teocracia do Pálido.

O Reino Norte de Aerdy é na verdade uma pronvícia do Grande Reino de Aerdy. O Grande Reino, como é conhecido, uma vez governou todas as terras de Flananess e impos sua cultura e seus mores a todos os povos. A própria liguagem Comum é oriunda do dialeto mais falado em Aerdy, o Oeridiano. As glórias do passado estão perdidas, no entanto. Décadas atrás, após uma seqüencia de assassinatos e intrigas palacianas, a Casa Celestial de Naelax depôs (e exterminou) o último representante da Casa Celestial de Rax, o Imperador Nalif. Embora os representantes da Casa de Rax não fossem os mais competentes, nada se compararia com os anos de repressão e loucura que viriam durante o governo da Casa Naelax. Na presente época, estamos vivendo sob o governo do quinto representante desta dinastia.O Imperador Ivid Vin Rauxes, conhecido como O ETERNO, foi o mais louco e demente de todos os membros da dinastia Naelax. Sua profunda ligação com o clero de Hextor e suas relações misteriosas com conselheiros Abissais lhe renderam uma fama terrível por toda a terra. Dizem que sua vilania superou em muito o limiar da humanidade. Uma das histórias confirmadas dá conta de que Ivid V transformou todos os seus generais em Animus(um tipo de Morto-Vivo criado magicamente pelo clero de Hextor para servir ao Imperador lealmente). Recentemente ele próprio teria se submetido ao terrível ritual para se transformar em Animus e, assim, ganhar a imortalidade. Nenhum príncipe do reino ousa opor-se abertamente ao Imperador. Ivid não é um gênio militar, mas sim um brilhante intrigueiro e político hábil. Ele sempre soube como se aproveitar ao máximo de uma boa execução pública ou, melhor ainda, sempre soube como utilizar a tortura como forma de encorajar casa possível rival a repensar seus planos antes de opor-se a ele. A Coluna Gritante, em Rauxes, é uma das mais vibrantes testemunhas da inovação trazida por Ivid: A coação da oposição pelo MEDO.

Atualmente ninguém sabe exatamente dizer o que será feito do Grande Reino. Acontece que uma série de eventos mágicos, provavelmente envolvendo o Clero de Hextor, tomou lugar em Rauxes, a capital do reino, e desde então a cidade está envolvida em uma misteriosa e malígna bruma. Desde este momento, ninguém jamais deixou a capital, nem sequer tem-se notícias de
seus milhares de habitantes. Pode-se apenas ver a cidade ao longe, imersa na profunda névoa, e ouvir um silêncio horripilante interrompido por gritos de dor e agonia. Diante desta situação, nenhum príncipe sabe como comandar suas províncias, posto que não é certo o destino de Ivid. Teria ele morrido e seria mais fácil decidir. Mas com esta incerteza, muitos senhores de terra temem tomar as rédeas de suas províncias e depois serem retaliados pelo Imperador. Com o passar do tempo alguns príncipes e senhores de terra começaram a deixar esse temor de lado e estão cada vez mais dedicados a governar seus próprios domínios. Sem a mão de ferro de Ivid (por enquanto pelo menos) o poder se descentralizou e a tendência a médio prazo é que o reino e fragmente. A Pronvíncia Norte do Grande Reino é governada pelo príncipe Grenell, primo de Ivid e herdeiro da linhagem de Naelax. Durante os anos do império de Ivid, esta província serviu principalmente como fonte de "homens" para o exército. Uma de suas mais famigeradas terras é a Fronteira dos Ossos, de onde milhares de orcs e outros humanóides imergiram sob comando do
príncipe Grenell para integrar as tropas do Imperador. Agora que ele está desaparecido, Grenell planeja separar completamente a província Norte do reino e transformá-la em um novo Império onde ele próprio reinará triunfante. Suas ambições, ele cre, seriam patrocinadas pelos seus muitos aliados na Igreja de Hextor, mas encontra opositores em lordes menores e senhores de terras, especialmente nas cidades mais afastadas, próximas de Ratik.

A província sul do Grande Reino, conhecida simplesmente como Ahlissa, é governada pelo príncipe Xavener I. Embora suas políticas de governo oprimam o povo quase tanto quanto as de seu desafeto Grenell, ao norte, Xavener é visto como um príncipe muito mais equilibrado do que a maioria dos outros grande Senhores do reino. Isto porque suas preocupações não estão em semear a maldade ou em estabelecer um domínio insano sobre outras terras (como no caso de Ivid e Grenell), mas sim em reestabelecer Aerdy como a força economica e política proeminente de outrora, evitando guerras a todo custo. Xavener descende da dinastia da Casa Celestial de Darmen, que historicamente foi composta por nobres burgueses associados ao culto de Zilchus (divindade da fortuna, do dinheiro e da prosperidade). Alguns membros desta Casa acreditavam que os Darmen tinham por herença o Trono Malachite, quando Ivid finalmente se fosse, mas ninguém pôde imaginar o desfecho trágico que foi a catástrofe mágica em Rauxes. Agora, diante da incerteza sobre o destino de Ivid, parece óbvio que é tempo de fortalecer a província e se preparar para o caso de Ivid não retornar, garantido, assim, sua soberania face a ameaça que Grenell representará caso seus planos se concretizem. Há, obviamente, algumas outras províncias no grande reino que mereceriam destaque aqui. Mas ou elas não serão importantes neste começo de campanha ou suas histórias não seriam de conhecimento dos personagens. Por isso, deixo para descrevê-las no momento oportuno.

As Colinas Flinty ficam dentro da Província de Almor. Por que não dei informações sobre ela? Simplesmente porque ela foi varrida do mapa pelas tropas do Imperador Ivid. Almor era governada pelo príncipe Osson, um valente combatente que tinha por princípios libertar suas terras do julgo malígno do Grande Reino. Suas ambições levaram Osson a liderar uma campanha militar que atravessou grande parte do Reino (através da província de Ahlissa até Medegia) trazendo a palavra de libertação. Ivid deu ordens para que os senhores de Medegia combatessem a ameaça que Osson representava. Eles, no entanto, não obedeceram e Ivid, possuído de grande fúria, enviou seus mais poderosos generais e suas mais valiosas tropas em
retaliação. O que se viu foi a perseguição de Osson e seu assassinato (e de suas tropas), bem como a transformação de Medegia em uma província fantasma (literalmente) e a obliteração de Almor. Chathold, a capital da província, foi devastada por terremotos e tempestades de ácidos invocada pelos sacerdotes e magos enviados pelo Imperador e os cidadãos de Almor perseguidos e mortos, um por um. Quem teve tempo fugiu para as Colinas Flinty e se abrigou nas diversas cidadezinhas e povoados que pontilham a região ou conseguiu atravessar a fronteira para Nyrond. Desde então, Almor vem sendo governada por um general de Ivid, que muitos dizem ser também um Animus. A vida nas Colinas Flinty só não é tão terrível porque a principal cidade da região, chamada Innspa, conseguiu sua libertação anos trás, quando Almor ainda era governada por Osson. Assim, a região conseguiu passar incólume aos últimos eventos no reino. Ademais, a região funciona como zona de transição entre Nyrond e o Grande Reino, sendo vigiada por espiões de ambas as partes, mas mantida como campo neutro onde trocas de mercadorias e informações podem ocorrer com relativa segurança. Bem próximo dali há a grandiosa floresta de Adri, onde humóides disputam espaço com elfos e humanos. Esta floresta vem servindo como refugio para muitos dissidentes do Grande Reino. Ivid por diversas vezes tentou o controle completo sobre ela, mas jamais o conseguiu (talvez porque não tenha tentado o bastante). Ao norte das Colinas há as Montanhas Cortantes, cujos cumes escarpados parecem ferir os céus, e mais aos norte ainda vivem os reclusos e misteriosos povos bárbaros.

Comentários

  1. mesmo estando longe e sabendo que vou jogar poucas vezes eu gostaria de saber que boneco a galera ta pensando em criar XD
    eu tava pensando em um druida ou um ladino to até escrevendo BG aos poucos hehe, e outra eu acho que todos os playrs interessados em jogar deveriam usar o blog.


    vou falar com o bogão quando encontra-lo on-line pra nós criarmos a campanha "Use o Blog e seja feliz" ou coisa do tipo. vlwz!

    OBS: eu ainda não li o pano de fundo

    ResponderExcluir
  2. começamos a jogar nesse último sábado, cacá... eu segui com a idéia de fazer o arqueiro arcano, mas, é claro, é improvável que ele continue vivo até lá, rsrs... fiz um meio-elfo mago, sendo que, provavelmente, já devo avançar como ranger no próximo nível e depois vou ver se sigo direto nela pra chegar mais rápido à prestige ou se ganharei outros níveis de mago antes, vai depender de como o jogo vai rolar...

    abs

    ResponderExcluir
  3. Bom, para responder sua pergunta grande kk, já montei minha poderosa, magnificente e sensacional rogue/sorceress. E vê se entra mais no messenger, tô entrando bastante até agora o bundão.

    Fica assim não robinho. Eu sou normalmente um dos primeiros (senão o primeiro) do grupo a morrer. O Velian foi até hoje o único ponto fora da curva hehehe.

    E é uma boa a gente agitar o blog mesmo, até porque agora vem as aulas (as malditas aulas... sacanagi hehehe) e os calendários vão se complicar um pouco.

    E a propósito gente, como foi a primeira sessão? Quem jogou?

    Abraços a todos, e até breve!

    ResponderExcluir
  4. Pietro e Robinho apenas.

    Já postei os acontecimentos da sessão.

    Neste proximo fds eu não devo estar em Friburgo. Se possível, vamos marcar para o outro. Mas ainda não tenho absoluta certeza qto a tudo isto.

    Abraços

    ResponderExcluir
  5. finalmente respostas T_T...
    eu num posso falar uma data certa pra jogar pq passagem pra friburgo ida e volta fica em 155 dinheiros +ou- isso doi muito...
    pelo jeito eu vou ficar só nas participações especiais mesmo mas meu BG ta quase pronto XD
    eu faria um druida se pudesse jogar em tempo integral, mas como num posso eu faço um rogue estilo Velian que num faz muita diferença e quase sempre é um inutil ( viu Bogus QUASE SEMPRE, ahuhuaahuuh sacaniei)bom é isso ai.

    OBS: já li o plano de fundo =D
    CONTINUEM USANDO O BLOG!!

    ResponderExcluir

Postar um comentário